URGENTE

Floresta plantada: Cirone Deiró quer incentivo fiscal e fim da burocracia para o setor







Câmara setorial da floresta plantada será um importante espaço para o fortalecimento da atividade

“O cultivo da floresta plantada é uma atividade econômica com alto valor agregado para o desenvolvimento econômico e sustentável do estado com o reflorestamento de grandes áreas”, defendeu o presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural, deputado Cirone Deiró, em reunião com representantes do governo. O parlamentar lembrou que Rondônia tem se destacado pelo cultivo das espécies, pinus tropicais, eucaliptos e do pinho cuiabano, também conhecido como bandarra, além da teca que tem mercado internacional.






Cirone destacou que a atividade tem relação direta com a indústria, pois as espécies cultivadas no estado são usadas na produção de goma-resina, na geração de energia térmica, na fabricação de lâminas de compensado, na secagem de grãos, e do setor ceramista, frigoríficos e laticínios. “Além das ações de apoio e incentivo fiscal, acesso ao crédito, precisamos reduzir a burocracia em relação ao licenciamento e autorização para exploração desta importante atividade econômica”, afirmou.

De acordo com técnicos do setor, o estado tem potencial para cultivar uma área de mais de 17 mil hectares de floresta plantada. Diante deste cenário o parlamentar defendeu a regularização fundiária como sendo uma política pública significativa para valorizar e incentivar o setor de cultivo de floresta plantada. Segundo ele, é preciso priorizar a regularização fundiária para dar segurança jurídica aos plantadores de floresta.

A exemplo da existência das câmaras setoriais do café e do leite, Cirone defendeu a constituição da Câmara Setorial de Florestas Plantadas, fórum permanente de discussão para encaminhamentos das demandas ao conselho estadual de política agrícola de florestas plantadas- CONSEPAF. “Acredito que a câmara setorial será um importante espaço para o fortalecimento desta atividade econômica e sustentável para os municípios rondonienses”, finalizou.

Texto: Edna Okabayashi/Assessoria

Nenhum comentário